Ao realizar a reforma, restauração ou ampliação em edifícios de valor histórico, muitos materiais originais decorrentes de partes demolidas são desperdiçados. Tijolos de olaria, azulejos de época, telhas de barro entre outros materiais construtivos tradicionais, que caracterizam a arquitetura brasileira de uma determinada época, que só são reservados quando em peças inteiras, caso contrário, são destinados para aterros sanitários.

Acreditamos que esses resíduos atualmente desprezados, possuem potencial para preservação da história e da memória do que um dia foram. Pensando nisso a ONG CERVH em parceria com a Simbiose Design Sustentável realiza o projeto “ERA”, dando nova vida para o que seria descartado. Nesse sentido, foi desenvolvida uma pesquisa buscando identificar possibilidades de aplicações estéticas inovadoras, sintetizadas em um fluxograma projetual. A partir de
experimentações compositivas dos materiais, criamos e confeccionamos peças com design exclusivo e assinado, e com controle de origem atribuindo alto valoraos produtos.

Deste modo, podemos gerar empregos e oferecer ensino profissionalizante para os colaboradores da ONG através da economia circular e da reciclagem de resíduos de construção civil no Brasil. Hewerton Bartoli, vice-presidente da Associação Brasileira para Reciclagem de Resíduos da Construção Civil e Demolição (Abrecon), estima que o Brasil desperdiça cerca de R$8 bilhões ao ano por não reciclar materiais de construção.

Além disso, promovemos a transparência, cultura e educação em história, arquitetura e meio ambiente através do sistema de codificação criado para o projeto
“ERA”, que identifica cada uma das peças por nós produzidas. Através deste sistema, é possível descobrir o valor histórico do qual se origina a matéria prima
usada na produção da peça, as características do material, o autor e artesãos envolvidos no processo de confecção.

Acreditamos que estas peças que unem sustentabilidade, design, memória histórica e contemporaneidade são o verdadeiro espírito do novo Museu Paulista e que seus visitantes gostariam de levar uma parte dessa história para casa. Sendo assim, propomos ao Museu uma parceria no sentido de desenvolver o design da linha de objetos, utilitários e/ou decorativos, e a confecção artesanal das peças, sendo a nossa matéria prima o descarte proveniente da aplicação.

Certos de que será um grande passo rumo ao futuro e eternizando nossa história, Simbiose Design

comp im